Cuidados com os cães geriátricos

Cães da terceira idade necessitam de atenção especial.
Cão idoso

Cães da terceira idade necessitam de atenção especial por parte de seus proprietários. No entanto, uma questão deve ser abordada: quando eles se tornam idosos? Para responder este questionamento, devemos levar em consideração que o processo de envelhecimento varia de acordo com a raça e o estilo de vida do animal. Sendo assim, podemos generalizar e dizer que cães de raças médias e pequenas são considerados idosos a partir de nove anos de idade, enquanto que cães de raças grandes e gigantes são geriátricos a partir de sete anos de idade.

Com o passar dos anos, observa-se que a resposta imunológica destes cães e que o funcionamento dos órgãos não são tão eficientes quanto antes. Desta forma, os cães tornam-se mais susceptíveis a desenvolver infecções e doenças degenerativas. Entre as principais enfermidades desta faixa etária tem-se como destaque: problemas cardíacos, renais, hepáticos, endócrinos (tais como a diabete melito), articulares, oftálmicos e odontológicos. Vale destacar ainda a grande percentagem de cães obesos nesta idade, doença esta que predispõe o aparecimento de outras patologias. Um aspecto importante a destacar é que algumas destas doenças cursam silenciosamente, ou seja, o cão não apresenta qualquer sintoma. Assim, quando o proprietário nota alguma mudança física ou no comportamento do seu animal, o quadro clínico está, por muitas vezes, avançado e nós médicos veterinários, ficamos restritos quanto ao tratamento. Por isso, faz-se necessário o acompanhamento do cão enquanto este se apresenta sadio, a fim de evitar a instalação ou progressão de doenças.

Alguns cuidados devem ser implantados na rotina de um cão idoso, estabelecendo uma rotina de exercícios, dieta adequada e ambiente favorável, por exemplo, com pisos não escorregadios. Além destes cuidados diários o cão deve ter acompanhamento veterinário trimestral. Neste, o médico veterinário realizará o exame físico completo e exames laboratoriais, tais como: hemograma, função hepática, função renal, urinálise, raio-x, eletrocardiograma, entre outros.

Estes cuidados permitem prevenir e até mesmo diagnosticar a doença precocemente, instituindo assim a terapia adequada. Isto certamente prolongará a vida do seu fiel companheiro.

Compartilhe isso
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on skype
Skype
Share on email
Email

Notícias recentes

Iniciar chat
Powered by
Ligar
Rota